Atos em prédios dos 3 Poderes não podem ser considerados “terrorismo”, explica especialista