○ Econômetro: contas públicas ainda são o vilão da história. Governo corta o vento