OAB defende nova discussão sobre desarmamento