Para consultor, mudanças na execução penal podem reduzir superlotação e poder de facções