Para STJ, “esforço comum” define o que deve ser partilhado em uniões homossexuais