“Sem a vacina, crianças ficam expostas a um vírus cada vez mais agressivo”, afirma especialista da Sociedade Mineira de Pediatria