Trabalho da natureza pode remunerar quem a preserva